O melhor momento para comunicar

Vivemos em plena revolução digital, uma era determinante de transição em que as novas tecnologias e os novos canais de comunicação revolucionaram a vida como até então a conhecíamos. Com o advento dos dispositivos móveis e com a democratização da internet, a partir das ligações wi-fi, passámos a estar conectados na rede quase em permanência, o que veio alterar a forma como comunicamos, como trabalhamos ou como consumimos.


Isto reflectiu-se de forma determinante durante a recente pandemia do novo coronavírus covid-19, que suspendeu a vida “normal” e fechou em casa uma população mundial de milhões de pessoas, como nunca se pensou ser possível. No entanto, a globalização não foi cancelada, graças à internet e a todas as suas ferramentas digitais. Passámos a consumir na rede, a absorver cultura na rede, a comunicar com os nossos pares na rede e a trabalhar na rede.

 

Quem se soube adaptar a esta nova realidade tirou desde logo os maiores dividendos da crise. Basta ver como subiram exponencialmente os números do comércio online em todo o mundo, tornando essa nova tendência no novo normal. Também o teletrabalho foi adoptado pela maioria das empresas, trazendo a internet e os computadores para a linha da frente. E basta ver como uma ferramenta aparentemente inofensiva como o Zoom, que estava entre nós desde sempre, ganhou uma importância fulcral nestas novas dinâmicas.

 

E, no entanto, nada disto é novo. Desde o início da world wide web que as empresas e as marcas rapidamente se aperceberam do potencial desta ferramenta, algo que só veio ser reforçado pela omnipresença das redes sociais. Essa evolução fez com que a forma como as marcas passassem a comunicar com o consumidor também se alterasse, uma vez que os clientes passaram a ter uma cara, um nome e a ser mais heterogénea e menos homogénea. Rapidamente surgiam novas ferramentas de comunicação e o marketing digital passava a ser uma ferramenta essencial para o sucesso comercial.

 

Hoje em dia, perante a revolução que estamos a atravessar em plena pandemia do covid-19, as empresas e os serviços necessitam de saber evoluir e adaptar-se rapidamente a esta nova realidade. Caso contrário, arriscam-se a ficar irremediavelmente para trás. E tendo em conta a velocidade com que as dinâmicas são hoje em dia criadas, quem ficar para trás não irá conseguir recuperar mais.

 

Esta é o melhor momento para comunicar e para as empresas se reposicionarem na internet. Não é só o comércio electrónico que tem subido; basta ver como o crescimento da publicidade online teve um enorme salto nos últimos meses deste ano. Se compararmos isso com os números da publicidade na televisão, na imprensa escrita ou nos suportes tradicionais, vemos que a diferença é abismal.

 

As pessoas estão agora em permanência na internet, uma plataforma que está aberta 24 horas por dia, sem pausas para descansar, incluindo nos feriados e nas férias, chegando aos quatro cantos do mundo em tempo real. O alcance deste novo canal de comunicação é imenso e as possibilidades são ao nível do que a imaginação conseguir conceber.

 

No início, não estar na internet era suicídio comercial. Mas hoje em dia isso só por si não é suficiente. Tendo em conta que toda a gente está na rede, a concorrência é brutal e é necessário saber sobressair por entre a espuma da rebentação. Já não basta ter uma página na net; é necessário que essa página seja intuitiva, rápida de navegar, tenha versão mobile para ser consultada no dispositivo móvel e ofereça ferramentas que sejam úteis ao utilizador. Só assim é possível conquistar novos clientes e fidelizar os antigos.


Também as redes sociais vieram revolucionar a forma como as empresas e as marcas se devem posicionar no mercado. O seu alcance é enorme e permite comunicar de forma personalizada com os seus seguidores, que assim sentem essa abordagem pessoal de forma mais interessada. É uma comunicação dinâmica, integrada e sustentada, graças aos algoritmos e à inteligência artificial, que permitem às marcas antever o que os utilizadores desejam.

 

Para uma empresa que, neste momento, recuse apostar na sua presença online, estará a dar um tiro no pé. A pandemia do covid-19 colocou-nos momentaneamente num impasse e agora abriu-nos as portas. Quem não aproveitar rapidamente, estará a desperdiçar a oportunidade das suas vidas para alcançar o sucesso comercial que sempre almejou.

Partilhar

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook
Share on pinterest
Share on email

Outros artigos

O que são Landing Pages e como funcionam?

Converter visitantes em leads é a primeira etapa para criação de um relacionamento entre sua empresa e um potencial cliente. Tudo o que precisa saber sobre Landing Pages e como funcionam está aqui. O que é uma landing page? Uma Landing Page é uma página